<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6768210\x26blogName\x3dalmanaque+de+ironias+menores\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://almanaque-de-ironias-menores.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://almanaque-de-ironias-menores.blogspot.com/\x26vt\x3d-2784242289558651308', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
almanaque de ironias menores

caderno de exercícios avulsos e breves, por serôdio d’o. & 3ás 

1.3.12


despejo por consentimento mútuo


sangue outra vez. estou com pressa, demoras?, não espero
pela resposta, é sangue, só ouço o que como murmúrio fica
para trás, excedi-me novamente. não sou delicado, tento
ser discreto. esta não é a minha estreia com fantasmas.
na imaginação costumam ser diferentes, cinematográficos
sobretudo, sem necessidade de manipulação ou efeitos
de pós-produção. aparecem quando acontecem apocalipses
íntimos, dispensam atmosferas, não entram nos ciúmes
ou nos crimes fáceis em que a voz é cruel, aparecem apenas
e ficam calados, como se se anunciassem para o assalto
através da presença.

onde estás?, já não estou, evitei-me a tempo de perceber
a ausência, o espectro dela. não estou na linha de passe.
posso ir ter contigo?, para quê?, tenho que sair, não posso
ficar
, assalto-me.

estupefacientes quentes, tu ainda queres o meu paradeiro?,
o cavalo galopa na prata, ainda queres saber se estou aqui?,
continuo a não estar.

continuo a não estar. aproximo-me devagar, olá, não vejo
a emília a brincar, abre os olhos, estou quase a chegar?
ou é o fim a começar a acontecer? s. d’o.


2004/2017 - serôdio d’o. & 3ás (escritos e subscritos por © sérgio faria).