<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6768210\x26blogName\x3dalmanaque+de+ironias+menores\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://almanaque-de-ironias-menores.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://almanaque-de-ironias-menores.blogspot.com/\x26vt\x3d-2784242289558651308', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
almanaque de ironias menores

caderno de exercícios avulsos e breves, por serôdio d’o. & 3ás 

31.1.12


república


outra vez a dúvida. se, tanto condição
quanto representação, a pátria é pele
ou tapete, como dizê-la? s. d’o.

referência

26.1.12


suite das vaidades


ix.
uma placa com a palavra usado. quem concebeu esta província? s. d’o.

referência

24.1.12


suite das vaidades


viii.
foi um passatempo, matar as coisas pequenas, arrancar-lhes as asas,
cuspir os caroços, sem acelerar o passo. o cortejo era fúnebre. s. d’o.

referência

19.1.12


suite das vaidades


vii.
encontraste-te num espelho?, talvez tivesse sido melhor
se te tivesses encontrado na rua, o reflexo seria menos vidrado. s. d’o.

referência

17.1.12


suite das vaidades


vi.
o grande absoluto, é sobre isto que falamos nestes dias,
o offshore a que se tenta regressar. mais do que a absolvição
estatística, a isenção da pertença à probabilidade de, é uma esperança
epistemológica, uma promessa de redenção que sugere um princípio
novo. o recomeço depois da falência é a consequência da tragédia
como consumação e superação de si. se calhar já não podemos
regressar lá, a fatalidade não deixa. s. d’o.

referência

12.1.12


suite das vaidades


v.
tenho uma espécie de fim a que tento obedecer,
embora não siga para ele. recomeço o recital,
sinto que hei-de chegar ao lamento mais intacto
do que antes. padeço menos o motivo, o requiem,
do que a consequência. não sei porquê. s. d’o.

referência

10.1.12


suite das vaidades


iv.
portanto comece-se, a expansão traz a morte,
por este endereço. s. d’o.

referência

5.1.12


suite das vaidades


ii.
arrumação modelar. o elenco foi distribuído
pela ordem das coisas, corpos no chão,
cabeças no ar, mas a gravidade não o permitiu. s. d’o.

referência

3.1.12


suite das vaidades


i.
na morte, este rio, estás bonita,
mais do que nunca
, espessa a demora. s. d’o.

referência

2004/2017 - serôdio d’o. & 3ás (escritos e subscritos por © sérgio faria).